^ Back to Top

O secretário de Turismo, Indústria e Comércio (Semtic) de Silva Jardim, Tiago Gomes, participou na última terça-feira (4) do evento “Uma Grande Oportunidade para o Futuro de sua Cidade”, com apresentações de palestras sobre estratégias de desenvolvimento turístico, que aconteceu em um hotel em Niterói, na região metropolitana do Rio.

Um das palestras foi ministrada pelo ex-prefeito do município de Gramado, no Rio Grande do Sul, Pedro Bertolucci, que falou sobre os investimentos que fez para que a cidade se tornasse um dos principais destinos turísticos do país. A outra palestra foi apresentada pelo professor da faculdade de Turismo e Hotelaria da Universidade Federal Fluminense (Uff), Eduardo Vilela, que abordou a importância da divulgação do turismo através dos meios tecnológicos.

O secretário da Semtic, Tiago Gomes, contou que um dos motivos mais importantes que levou o sucesso no turismo para Gramado foi o envolvimento da sociedade, que acreditou no potencial do município e enxergou uma oportunidade de renda. “São um conjunto de ideias. A iniciativa privada e o poder público têm que caminharem juntos, para que nosso município também alcance sucesso no desenvolvimento do turismo”, pontuou.

O ex-prefeito de Gramado, Pedro Bertolucci, administrou o município por quatro mandatos e afirmou que cerca de 90% da economia da cidade gira em torno do turismo. Durante a palestra ele destacou as motivações que obteve para transformar o município e as estratégias que utilizou na construção do novo cenário. “Foi uma conjugação de esforços de toda a sociedade que apostou desde cedo no turismo, quando este segmento ainda sequer figurava com expectativas de desenvolvimento ou lucratividade”, relatou.

A iniciativa foi organizada pelo Sebrae e Rio Serra Mar, em parceria com a Niterói Empresa de Lazer e Turismo (Neltur) e a prefeitura de Niterói, além do H Hotel, que sediou o evento, que contou com a presença do vice-prefeito de Niterói, Axel Grael; o presidente da Neltur, Paulo Freitas, e ainda diversos empresários do ramo turístico e gestores públicos do leste fluminense.

(Fotos: Divulgação / Semtic)

 

 

Leia mais:Secretaria de Turismo de Silva Jardim participa de palestra sobre estratégias de desenvolvimento...

Dois engenheiros do Instituto Estadual de Engenharia e Arquitetura (IEEA) estiveram em Silva Jardim, entre os dias 28 e 30 de julho, para fazerem o mapeamento dos locais onde devem ser colocadas placas de sinalização turística do município, e foram acompanhados pela equipe da Secretaria Municipal de Turismo, Indústria e Comércio (Semtic).

Os engenheiros do IEEA, Antonio Kropf Carvalho e Monica Brites Borges, além do secretário da Semtic, Tiago Gomes, percorreram por diversas áreas do município, entre elas, o Centro da cidade, Lagoa de Juturnaíba, e as localidades de Aldeia Velha, Pirineus, Bananeiras e Imbaú.

O projeto faz parte de um convênio que foi assinado no início de junho entre a prefeitura e a Secretaria de Estado de Turismo. O objetivo é fazer a sinalização das principais referências turísticas da cidade nas vias municipais, estadual e federal.

O secretário da Semtic, Tiago Gomes, acredita que a iniciativa vai viabilizar a localização e a divulgação dos atrativos turísticos do município. “A sinalização vai ser colocada tanto nas vias da cidade, quanto na rodovia federal que corta o município, possibilitando que as pessoas que passem pela BR-101 possam conhecer melhor a cidade”, disse.

De acordo com o secretário, o projeto está sendo desenvolvido pelo IEEA e deve ser executado pela prefeitura, através da obtenção de recursos de emendas parlamentares. Ainda conforme Tiago Gomes, os lugares que devem receber as placas de sinalização, neste primeiro momento, são as localidades que já possuem maiores estruturas para recepcionarem os turistas.


Gostaria de agradecer a Fazenda Santo Antônio dos Cordeiros, em Imbaú, e a Pousada Beira Rio, em Aldeia Velha, por oferecerem hospedagem gratuita aos engenheiros, mostrando uma grande parceria entre o poder público e o trade turístico”, finalizou o secretário da Semtic, Tiago Gomes.

(Fotos: Divulgação / Semtic)

 

 

Leia mais:Silva Jardim recebe engenheiros para elaboração de projeto de sinalização turística

Evaldo Peclat Nascimento

Prédios como a sede da Prefeitura e Câmara Municipal, o Centro Cultural Capivari (antiga delegacia de polícia), e a casa em que nasceu a atriz Zezé Macedo, assim como a Praça Amaral Peixoto poderão, a partir de agora, serem preservados como “Patrimônio Cultural” de Silva Jardim. O prefeito Anderson Alexandre acaba de sancionar a Lei 1665, aprovada pela Câmara dos Vereadores no último dia 03/07, que prevê a preservação do Patrimônio Cultural e Natural da cidade, além de criar o “Conselho Municipal do Patrimônio Histórico, Artístico e Natural”, bem como instituir o “Fundo Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural” (Compac).

Segundo Jocenildo Andrade, coordenador de Indústria e Comércio da Secretaria municipal de Turismo, Indústria e Comércio (Semtic), responsável pela sugestão de criação da referida Lei, a implantação vai beneficiar inclusive a prática do turismo no Município, já que possibilitará a melhor manutenção dos referidos pontos. Assim como poderá criar locais próprios para conservação, preservação, manutenção e exposição dos acervos, o que atrairá uma maior visitação e circulação de turistas na cidade. Tais locais e pontos a serem tombados e preservados fazem parte, também, do roteiro de turismo histórico, religioso e cultural de Silva Jardim, capazes de gerar renda para o Município.

A Lei protegerá, ainda, o patrimônio representado por cemitérios antigos e sítios históricos. Como o situado na localidade de Gaviões, numa fazenda que teria pertencido a Dom Pedro (pai da Princesa Isabel) e cujas peças (cerca de 21 mil unidades) já descobertas encontram-se em poder do Instituto Brasileiro de Pesquisas Arqueológicas (IBPA).

Também as antigas estações ferroviárias do Centro da cidade e da Lagoa de Juturnaíba, o acervo da Sociedade Musical e Dramática Honório Coelho, e o acervo da atriz Zezé Macedo (roupas, troféus, quadros, livros, fotos, cartazes de filmes, entre outros) deixados por ela para a Loja Maçônica Silva Jardim nº 45. Assim como belezas naturais a exemplo das paisagens da própria lagoa e da Praça Amaral Peixoto, além de formas de expressões linguísticas, hábitos e costumes regionais.

A lei diz que “o Município de Silva Jardim, no exercício de competência constitucional, protegerá os documentos, as obras e outros bens de valor histórico, artístico e cultural, turístico, os monumentos, as paisagens naturais notáveis e os sítios arqueológicos”. E procederá o tombamento dos bens que constituem o seu acervo cultural, segundo os procedimentos e regulamentos da lei, através do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural (Compac). Ela institui quatro livros-tombo, destinados à inscrição dos bens que o Compac considerar de interesse de preservação do município. Será de responsabilidade da Divisão de Cultura cuidar das questões do Patrimônio Cultural subordinado à Secretaria municipal de Educação e Cultura.

O Sítio Histórico de Gaviões

 

O possível tombamento e preservação do sítio histórico de Gaviões é um capítulo à parte na criação da Lei do Patrimônio Cultural e Natural da cidade. Ele foi descoberto entre os anos de 2009/2010 por ocasião das escavações para a construção do gasoduto Gasduc III, da Petrobras. Segundo o arqueólogo Juber de Decco, do IBPA, o material recolhido até agora reúne louças brancas (cerca de 11.500 peças) e coloridas (quatro mil), além de muita cerâmica, vidros, tijolos e utensílios de metal (trempes de fogões, ferraduras, entre outras). O material está na reserva técnica do IBPA, no bairro Engenho Novo, no Rio de Janeiro. O arqueólogo esclarece que o tipo de material encontrado inclusive indica as condições sociais das referidas famílias à ocasião, as quais no caso seriam de bom poder aquisitivo haja vista a descoberta de tanta louça colorida.

De acordo com Juber de Decco, com a criação e implementação da Lei do Patrimônio Municipal, caso o Município tenha interesse e crie as condições necessárias para isso, todo o material poderá retornar à cidade para ser incorporado ao seu acervo histórico-cultural. Para isso, o município precisaria implantar um espaço de “Reserva Técnica” onde as peças seriam adequadamente guardadas, preservadas e expostas ao público, se fosse o caso. Ele até sugeriu que tal “reserva” pudesse ser feita no próprio terreno do Centro Cultural Capivari (CCC) que ocupa o prédio da antiga delegacia de polícia o qual também deverá ser tombado e preservado pela nova lei no Município.

Juber acrescenta que até mesmo os materiais resultantes de futuras escavações no sítio histórico de Gaviões poderão ficar definitivamente no acervo histórico do Município, desde que este crie as condições necessárias para isto. O que poderá ser possibilitado inclusive através do “Fundo Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural” (Compac), também criado para esse fim. Ele acredita ainda haver muito material a ser escavado e recolhido na área. E ressalta que tais materiais recuperados poderiam servir de base para exposições no Município.

“Mas o procedimento é o mesmo: se o IBPA, por exemplo, for contratado para fazer o levantamento e recolhimento do material no local, as peças vão para a nossa reserva técnica onde serão catalogadas e classificadas, com a autorização do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Para depois retornarem ao Município de acordo com a solicitação deste e as condições de preservação apresentadas pelo mesmo”, explica o arqueólogo. A retirada das peças no sítio histórico de Gaviões à época foi contratada e custeada pela própria Petrobras.

 

Leia mais:Silva Jardim cria lei de preservação do patrimônio cultural e natural

O subsecretário municipal de Turismo, Indústria e Comércio (Semtic), Tiago Gomes, participou de uma reunião no dia 29 com representantes do Instituto Estadual de Engenharia e Arquitetura (IEEA), no Centro do Rio, para tratar do projeto de sinalização turística de Silva Jardim.

O projeto faz parte de um convênio que foi assinado no início do mês passado entre a prefeitura e a Secretaria de Estado de Turismo. O objetivo é fazer a sinalização das principais referências turísticas da cidade nas vias municipais, estadual e federal.

O subsecretário da Semtic, Tiago Gomes, acredita que a iniciativa vai viabilizar a localização e a divulgação dos atrativos turísticos do município. “A sinalização vai ser colocada tanto nas vias da cidade, quanto na rodovia federal que corta o município, possibilitando que as pessoas que passem pela BR-101 possam conhecer melhor a cidade”, disse.

De acordo com o subsecretário, o projeto está sendo desenvolvido pelo IEEA e deve ser executado pela prefeitura, através da obtenção de recursos de emendas parlamentares. Ainda conforme o subsecretário, na próxima terça-feira (6) Silva Jardim deve receber os engenheiros da IEEA que virão conhecer os atrativos turísticos do município e definir qual tipo de sinalização deve ser utilizada.

 

Além do subsecretário da Semtic, Tiago Gomes, participaram da reunião o diretor técnico do Instituto Estadual de Engenharia e Arquitetura (IEEA), Hélio Peixoto, os engenheiros Silvano Araújo e Renato Dias Coelho, e ainda os assistentes Antonio Kropf Carvalho e Monica Brites Borges.

 

O Teatro Zezé Macedo, em Silva Jardim, ficou lotado na manhã do dia 02/06 durante a realização da sexta edição do Fórum de Fortalecimento do Turismo. Mais de 130 pessoas entre gestores públicos, empresários e interessados no incremento da atividade turística participaram do evento.

Durante o encontro, promovido pela Secretaria Estadual de Turismo/TurisRio, foi assinado o termo de compromisso entre o IEEA – Instituto de Engenharia e Arquitetos do Estado do Rio de Janeiro e a Prefeitura de Silva Jardim para a elaboração do Projeto de Sinalização Turística da cidade. O processo foi iniciado no gabinete do Secretário se Estado de Turismo, Nilo Sergio Felix, responsável pela estruturação do projeto.

Durante sua apresentação no seminário, Nilo Sergio Felix ressaltou a importância do Fórum para o setor e lembrou que a Setur-RJ está trabalhando o desenvolvimento do turismo no estado do Rio de Janeiro como um todo.

- O estado do Rio de Janeiro tem 92 municípios e nós vamos trabalhar a atividade turística em todos eles, independente das potencialidades. Sabemos que muitos, localizados em regiões consideradas prioritárias, já recebem grande número de turistas que fizeram com essas localidades se desenvolvessem rapidamente. O turismo é um importante motor da economia. Precisamos investir nele.

O secretário disse ainda que a Região Caminhos da Mata é um referencial quando falamos em turismo rural e de aventura. Wanderson Gimenes Alexandre, Prefeito de Silva Jardim, participou do evento e disse que é um entusiasta do turismo como fator de desenvolvimento.

- Nós acreditamos tanto na atividade que o slogan da cidade foi mudado “Turismo é a nossa vocação” é o novo slogan. Eu tenho certeza que um dia Silva Jardim poderá viver exclusivamente do turismo.

Já Felipe Rocha, Secretário de Turismo de Silva Jardim agradeceu o trabalho que vem sendo desenvolvido pela Setur-RJ para todas as regiões do Estado.

- Pela primeira vez o Secretário de Estado de Turismo pisa em Silva Jardim. Isso mostra a disposição desse governo em desenvolver atividades sem priorizar nenhuma região, mas sim olhando o Estado como um todo.

(Matéria reproduzida do do site da Secretaria de Estado de Turismo -http://www.rj.gov.br/web/setur/exibeconteudo…)

Prefeitura Municipal de Silva Jardim - CNPJ: 28.741.098/0001-57 - Tels:(22) 2668-1125/2668-1430/2668-2000 - Rua Luiz Gomes, 46, Centro - Silva Jardim/RJ - CEP: 28820-000