A equipe da Secretaria Municipal de Trabalho, Habitação, e Promoção Social (SMTHPS) participou do III Encontro de Capoeira promovido pela Associação Raízes de Aruanda, no bairro Caxito, em Silva Jardim. O evento aconteceu no fim de semana na quadra de esportes e reuniu capoeiristas de toda a região.

Segundo a Associação Raízes de Aruanda, no Caxito, o projeto funciona há três anos e atende a cerca de 50 alunos com oficina de capoeira. A faixa etária dos alunos varia de quatro a 50 anos, sendo a maior parte crianças e adolescentes. As aulas são de graça e acontecem duas vezes por semana.

“Este é um projeto cem por cento social, totalmente de graça. O nosso principal objetivo é ocupar o tempo ocioso dos adolescentes e trabalhar a prevenção às drogas”, frisa o presidente da associação, mestre Dengo.

O projeto também faz acompanhamento escolar dos adolescentes que participam da oficina. “Se o aluno não estiver com boas notas na escola, a gente pede a suspensão dele na capoeira”, explica o responsável pela oficina no Caxito, contramestre Faísca.

A assistente administrativa Thaina Santos, de 21 anos, entrou no projeto há cerca de dois anos por influência de uma amiga. “Entrei por curiosidade, gostei e acabei ficando. É muito bom fazer capoeira”, diz a jovem, empolgada.

O secretário da SMTHPS, Sebastião Rocha, participou do evento no domingo (19), e falou sobre a importância do incentivo à capoeira. “Jogos como a capoeira e a prática de esportes são fundamentais para dar perspectivas aos adolescentes e jovens. Estamos estreitando as relações com a associação e avaliando a possibilidade de levar o projeto para outros bairros”, afirmou.

 

A Associação Raízes da Aruanda está sediada em Macaé, no norte fluminense, e possui quatro filiais no estado. Ao todo, mais de 400 alunos participam do projeto, segundo a associação. O encontro de capoeira acontece todo ano e conta com o tradicional batizado, entrega de cordas, além de oficinas, e apresentações abertas para toda a comunidade.