Demarcar os limites dos bairros e loteamentos de Silva Jardim definindo a que tipos de ocupações eles se destinam é o principal objetivo do trabalho de zoneamento urbano que está sendo desenvolvido por uma comissão da Prefeitura Municipal. Segundo Jocenildo de Andrade, Cordenador de Indústria e Comércio da Secretaria de Turismo (Semtic) e Débora Maria Guimarães Machado, Procuradora Administrativa do Município, dois dos componentes do grupo que trata do assunto, o zoneamento implicará também na definição do Código de Obras, já que as novas construções passarão a ser feitas de acordo com o que o zoneamento determinará. Há inclusive a proposta de se mudar o gabarito de pontos no Centro da cidade para permitir a edificação de prédios de até oito andares a fim de incentivar o desenvolvimento do Município, atraindo novos investimentos.

O aumento do gabarito atrairá inclusive investimentos do setor imobiliário para a construção de prédios com lojas maiores que poderão acolher empresas comerciais dos ramos de eletrodomésticos e vestuários, por exemplo, as quais necessitam de espaços acima de 300 metros quadrados – acrescenta Jocenildo de Andrade.

Jocenildo Andrade, Débora Machado e o analista ambiental Hugo Leonardo Martins se reuniram no último dia 06/01, na Semtic, a fim de estudarem propostas para o zoneamento a serem apresentadas ao Prefeito Anderson Alexandre para que este possa propor a atualização da legislação. O trabalho cumpre o que determina o Plano Diretor do Município, instituído em 2006. De acordo com ele, a Zona Urbana do Município, por exemplo, tem que ser dividida em “Área Central”, “Área de Uso Misto”, “Áreas Residenciais 1, 2 e 3”, “Área de Interesse Social” e “Área de Interesse Turístico”.

O novo zoneamento definirá, ainda, as áreas de expansão do Município indicando para onde a cidade pode crescer, enquanto o Código de Obras apontará como as construções deverão ser efetuadas. Segundo a comissão, todo o entorno da Lagoa de Juturnaíba, por exemplo, poderá ser considerada “Área de Interesse Turístico” e de “Expansão Urbana”. De acordo com o Plano Diretor, para a ordenação da ocupação do solo, o Município deverá ser dividido, também, em “Zona Urbana” (ZUR), “Zona de Expansão Urbana” (ZUR), “Zona Rural” (ZR), “Zona de Proteção Ambiental” (ZPA) e “Zona Institucional” (ZI). A reclassificação das áreas de acordo com o novo zoneamento poderá inclusive promover a valorização dos imóveis nelas situados.

Conforme a proposta e o cronograma do trabalho, inicialmente deverão ser redefinidos os limites dos diversos bairros principalmente da Zona Urbana, como Centro, Nossa Senhora da Lapa, Santo Expedito, Biquinha, Cidade Nova, Caju, Silva Garden, Nova Silva Jardim, Reginópolis, Romanópolis e Fazenda Brasil, por exemplo. O serviço será efetuado por meio de imagem de satélite da região (Google), analisada, dividida e classificada por Hugo Leonardo, e seguindo as delimitações naturais e convencionais já existentes obedecendo demarcações naturais como rios e ruas.

 

Reportagem: Evaldo Peclat Nascimento